Pasteurização da sua cerveja: vale a pena?

Pasteurização da cerveja

 

Vale a pena pasteurizar a cerveja caseira?

Pasteurizar ou não a cerveja artesanal? Você já ficou nesse dilema? Essa é também a dúvida do leitor Lucas Alves. Ele quer saber como funciona a pasteurização da cerveja e se vale a pena lançar mão desse processo para aumentar a durabilidade da cerveja.

 

“Como funciona o processo de pasteurização da cerveja? Vale a pena pasteurizar a cerveja para ter uma durabilidade maior da cerveja? (Lucas Alves)”

 

O que é a pasteurização?

 

Em primeiro lugar preciso explicar para você que a pasteurização é um processo usado para eliminar ou reduzir ao mínimo a concentração de micro-organismos que podem deteriorar alimentos e bebidas (no caso da cerveja, principalmente os lactobacilos).

 

Essa técnica foi criada na década de 1860 pelo cientista francês Louis Pasteur e atualmente é a mais usada na indústria cervejeira para dar estabilidade à cerveja e aumentar sua vida útil.

Louis_Pasteur

 

Como é feita a pasteurização?

pasteurização

Para você entender melhor, vou explicar resumidamente. Na pasteurização o produto sofre um choque térmico, ou seja, é submetido a altas temperaturas e logo em seguida é resfriado. É isso o que garante a eficácia do procedimento na conservação do alimento ou bebida.

 

Na atividade cervejeira, os métodos e temperaturas de pasteurização podem variar de acordo com o fabricante e o tipo da cerveja produzida.

 

O método é ótimo!

A pasteurização é um método muito eficaz para eliminar germes e bactérias, garantir a estabilidade da cerveja e aumentar sua durabilidade (que costuma variar entre 6 e 18 meses, em média).

 

Quem trabalha em escala comercial dificilmente consegue fugir dela. A não ser que utilize a cadeia refrigerada, em que o produto tem que ficar sob refrigeração desde o envase até a exposição nos postos de venda.

 

Mas essa opção é mais cara e muito mais complicada em termos de logística.

 

OK, a essa altura você deve estar pensando:  “Puxa, então é claro que devo pasteurizar minha cerveja! Quanto mais tempo ela durar, melhor!”

 

Caaaalllmmmaaa lááá!!!

 

Nada nessa vida tem um lado só. Continue lendo o post para saber um pouco mais sobre essa possibilidade.

 

Mas tem um porém…

É bom você saber que a pasteurização altera o perfil sensorial da cerveja – suas características de sabor, aroma e frescor.

 

Não é à toa que muita gente diz que gosta mais de chope do que de cerveja. É porque na maioria das vezes (não é uma regra, ok!?) eles não são pasteurizados, conservando as características originais. Em compensação, têm validade de cerca de 10 dias.

 

No Brasil, algumas cervejarias, como a Dogma, já estão começando a colocar no mercado lotes de cervejas não pasteurizadas, que estão tendo boa aceitação. Provavelmente isso vai influenciar daqui para a frente as práticas no mercado cervejeiro.

 

O dilema do cervejeiro

dilema

E então, pasteurizar ou não a sua cerveja artesanal? É realmente uma faca de dois gumes. Vale a pena aumentar a durabilidade da cerveja e alterar as suas características?

 

Para o cervejeiro caseiro, eu diria que não!

 

Imagine você escolher com cuidado cada ingrediente, cuidar de cada etapa do processo de produção da sua cerveja e depois ver que o perfil sensorial que você idealizou com a receita foi alterado!

 

Minha sugestão é que você faça a sua cerveja e não deixe muito tempo guardada. Se for uma cerveja para ser consumida fresca, como uma IPA, uma Pale Ale ou uma cerveja de trigo, o ideal é fazer uma quantidade suficiente para um rápido consumo.

 

Fica, então, a dica: faça sua produção e não demore para consumir ela com os seus parceiros, amigos ou sua família! Eu diria até que é interessante você observar as alterações na cerveja não pasteurizada durante um período de mais longo (6 meses, por exemplo).

 

Vai ser bom para você avaliar como ela se transforma! A cerveja é viva! Mesmo nas cervejas que você vai querer guardar por um período maior, como a Barley Wine, não tem por que fazer pasteurização.

 

Enquanto ela está guardada seus ingredientes vão “trabalhando”, e essa evolução vai fazer bem pra ela. É só tomar cuidado na hora de sanitizar para evitar a contaminação da sua cerveja (você pode ver mais sobre o assunto nesse post aqui que já publiquei no blog).

 

Está certo? Essa é a minha opinião. Mas se você quiser fazer um teste, pegue um lote, pasteurize e sinta a diferença em relação à produção não pasteurizada.

 

Veja como você pode fazer isso em casa.

 

Pasteurização da produção caseira

pasteurizacao da cerveja

Esse método é bem simples. Basta você colocar as garrafas numa panela com água em torno de 60°C, 70°C e deixá-las aquecendo por uns 10 a 20 minutos.

 

Depois, é só passar os recipientes para uma panela com água fria, a cerca de 10°C.

 

Quando elas estiverem resfriadas, devem ficar à temperatura ambiente por mais uns dois dias.

 

Se você resolver fazer esse teste, não esqueça de me contar o seu resultado aqui nos comentários, está certo?

 

E lembre que você pode ver a sacada cervejeira de hoje também no canal do Concerveja no YouTube! 

 

CONCLUSÃO: PARA O CERVEJEIRO CASEIRO, NÃO VALE A PENA PASTEURIZAR A PRODUÇÃO, POIS ELA ALTERA O PERFIL SENSORIAL DA CERVEJA.

 

Neste post mostrei o que é e como é feita a pasteurização, um procedimento para conservação de alimentos e bebidas desenvolvido pelo cientista francês Louis Pasteur.

 

Nesse método, a cerveja, já envasada, sofre um choque térmico que serve para reduzir ao mínimo os micro-organismos que podem contaminá-la.

 

A principal vantagem de pasteurizar a cerveja é o aumento de sua durabilidade. Por isso é que esse processo é o mais usado por quem produz em escala comercial. A opção a ele é o uso da cadeia refrigerada, mas esse procedimento é mais caro e exige uma logística bem mais complicada.

 

O grande porém da pasteurização da cerveja é que ela altera o perfil sensorial da cerveja.

 

Por isso é que eu não recomendo esse procedimento para quem produz cerveja artesanal em casa.

 

Pense bem: você escolhe com cuidado cada ingrediente. Depois cuida atentamente de cada etapa do processo para ter um produto com as características planejadas na receita!  Você vai querer que um “intruso” altere seu líquido precioso?

 

Se você planejar uma cerveja para ser consumida fresca, como uma IPA, uma Pale Ale ou uma cerveja de trigo, faça uma quantidade que possa ser consumida rapidamente!

 

Mesmo para uma Barley Wine eu não recomendo a pasteurização, porque enquanto ela fica guardada seus ingredientes “trabalham”, e é interessante ver essa evolução da cerveja viva!

 

Mas se por acaso você quiser separar um lote de suas cervejas para teste, dei uma dica bem simples de pasteurização caseira:

  • aquecer as garrafas por 10 a 20 minutos com a água em torno de 60, 70 graus;
  • passar rapidamente os recipientes para uma panela com água fria, a cerca de 10 graus;
  • deixar a produção à temperatura ambiente por uns dois dias.

 

Sempre é válido fazer testes e estudar as diferenças. Se você optar por fazer um lote pasteurizado, não esqueça de dividir com a gente as suas experiências!

 

Até a próxima! Um brinde a 2017! E lembre de compartilhar a sacada de hoje no Facebook!

like cerveja

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.