Eficiência da brassagem: Real e Calculada pelo software

Nosso amigo cervejeiro Roberto Martins me enviou a pergunta que será tema do post de hoje: a eficiência da brassagem.

 

“Como obter uma eficiência de acordo com o software? Muitas vezes fica abaixo do esperado. ” (Roberto Martins)

 

Antes de falar em termos de eficiência da brassagem calculada pelo software cervejeiro, temos aqui dois pontos importante a serem salientados:

  • Primeiro é em relação à eficiência da brassagem propriamente dita: Como você pode fazer para aumentá-la;
  • Segundo: Observar a relação entre eficiência que o software cervejeiro calcula automaticamente e a eficiência real que você consegue de fato quando você está fazendo a sua brassagem.

 

Eficiência da brassagem

eficiencia da brassagem

 

A eficiência da sua brassagem ou dos seus equipamentos é um assunto um tanto complexo de se explicar, mas podemos dizer basicamente que o seu grist de maltes possui um extrato potencial.

 

O que eu quero dizer é que se você conseguisse converter 100% dos açúcares contido nos grãos de malte, no final de brassagem você teria um volume, de acordo com a quantidade de água que você utilizou, e uma densidade original (OG).

 

Logo o volume e a densidade, digamos assim, possíveis em um cenário ideal, são o seu objetivo, seu parâmetro de referência.

 

Os valores que de fato você consegue, em termos de volume e densidade, serão os valores da eficiência da sua brassagem, seja ela 50%, 60%, 80%, etc.

 

Mas o nosso amigo Roberto está falando aqui que a eficiência dele está muito baixa, o que ele pode fazer?

 

Vamos ver então como aumentar a eficiência da brassagem.

 

Fatores que alteram a eficiência

Moedor

 

Alguns fatores que podem impactar na eficiência da sua brassagem:.

 

A eficiência da mosturação pode melhorar com uma moagem um pouco mais fina dos grãos, que tende a resultar em melhor extração de açúcares

 

DICA: Cuidado para não moer demais pois você pode ter alguns problemas como entupimento de equipamentos (Stuck Sparge) ou extração demasiada de taninos influenciando negativamente no sabor da sua cerveja (adstringência)

 

A mosturação e lavagem bem executas (nesse post aqui você encontra mais informações para fazer uma lavagem eficiente), assim como a seleção e controle correto das rampas de temperatura e do pH ideal, vão resultar em uma maior extração e, consequentemente, uma eficiência maior.

 

Em relação à eficiência do equipamento como um todo, as perdas durante todo a sua brassagem, seja através da evaporação de água, volume morto que fica abaixo do nível das válvulas das panelas e fermentadores, afetam diretamente o seu volume final.

 

Em suma, o equipamento que você utilizar vai influenciar na eficiência da brassagem, e se melhorar algumas etapas do seu processo você consegue aumentar essa eficiência.

 

Relação entre Eficiência Real e do Software

 

Se você, assim como o Roberto, não consegue atingir eficiência da brassagem calculada no software cervejeiro, antes de mais nada você precisa saber se está utilizando a eficiência que você inseriu ou a padrão.

 

Eu digo isso pois os softwares cervejeiros normalmente vem com uma eficiência padrão, que fica geralmente em torno de 70%.

 

Quando você vai utilizá-lo, a sua primeira ação deve ser ajustar o perfil do equipamento para a sua realidade.

 

E para fazer isso você precisa saber as características do seu equipamento, o volume morto, evaporação, etc.

 

Quando você está começando, provavelmente você não tem esses dados, mas a cada brassagem você vai anotando e refinando eles.

 

Por exemplo se você tiver usando a eficiência padrão do software cervejeiro, ele pode estar considerando que o volume morto da mostura é de 2 litros, enquanto na realidade você tem 3 litros.

 

A evaporação real da sua brassagem pode ser de 5 litros e na previsão do software essa evaporação poder estar estimada em 3 litros.

 

Isso tudo vai fazer com que a sua eficiência real da brassagem seja menor que a prevista no software cervejeiro e, dessa forma, o problema não estaria na extração de açúcares, mas sim nos dados de entrada utilizados no software.

 

Software cervejeiro e a eficiência

software cervejeiro

 

Em primeiro lugar, você precisa alimentar o software cervejeiro com os seus dados.

 

Se você faz uma cerveja e chega 60% de eficiência, vai brassar uma segunda ou terceira vez e também chega a 60%, esse é o valor que você vai inserir no software cervejeiro.

 

Você não pode elaborar uma receita de cerveja prevendo a eficiência de 70% somente por ela ser o padrão do software. Você precisa utilizar seus dados reais.

 

Você precisa ter essa diferença muito clara na sua cabeça.

 

Muita gente confunde, eu mesmo me confundi muito no começo pelo menos, e talvez você esteja buscando a eficiência padrão que o software estipula, o que pode ser até impossível de atingir, dependendo do perfil do seu equipamento e do seu processo.

 

Se você utiliza BIAB (Brew in a bag) por exemplo, é provável que você não atinja a eficiência padrão do software cervejeiro.

 

Você precisa se atentar para esse ponto, anotar os seus dados e com o tempo você refinar eles. Não se assuste se de repente a sua eficiência estiver abaixo da que está no software, pois esse valor é somente uma referência.

 

O mais importante é você focar no seu processo de brassagem, anotar os dados para, então começar a alimentar o software com eles.

 

Dessa forma o software estará alinhado com o seu equipamento, a sua realidade e, por exemplo, quando você for fazer uma brassagem você saberá melhor o quantitativo de ingredientes necessários para sua receita.
Assim você conseguirá chegar na fermentação com os valores mais próximos possíveis dos previstos na sua receita.

 

É muito comum, talvez mais comum do que você possa imaginar, você chegar no momento de colocar o mosto para fermentar e não ter o volume e densidade final prevista na receita. E isso acontece justamente por você não ter a mesma eficiência da brassagem que o software cervejeiro está prevendo.

 

CONCLUSÃO: EFICIÊNCIA DA BRASSAGEM REAL NORMALMENTE É DIFERENTE DA EFICIÊNCIA PADRÃO USADA PELO SOFTWARE CERVEJEIRO

 

Hoje a temática foi a eficiência da brassagem e eu te mostrei que você pode aumentar a eficiência melhorando o seu processo de brassagem e que existe uma diferença entre a eficiência da brassagem real e a padrão estipulada pelos softwares cervejeiros.

 

E para melhorar a eficiência, você pode fazer uma moagem mais fina do seu malte, para aumentar a extração dos açúcares, ou ainda rever seu processo de mosturação, lavagem, controle de temperatura e pH.

 

O equipamento que você utiliza também vai influenciar na eficiência da brassagem, e se melhorar algumas etapas do seu processo você consegue aumentar essa eficiência.

 

Se você não consegue atingir eficiência da brassagem calculada no software cervejeiro, você pode não estar utilizando os dados mais adequados

 

É importante focar no seu processo de brassagem, anotar os dados para, então começar a alimentar o software com eles.

 

Bom, espero que você tenha gostado do assunto do post de hoje e que tenha entendido a diferença entre a eficiência real da brassagem e a padrão do software cervejeiro.

 

Se gostou compartilhe com seus amigos cervejeiros, pode compartilhar pelo facebook (AQUI) ou enviando o link do post para eles.

like cerveja

 

Um ótimo restinho de semana para você e até o próximo post.

 

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.