Equipamentos para carbonatação forçada

Tempo de leitura: 8 minutos

Equipamentos para carbonatação forçada

carbonatação forçada

O post de hoje é para quem está querendo dar uma levantada na sua produção de cerveja e precisa incrementar o processo de carbonatação.

O tema foi escolhido para responder a uma pergunta do Ricardo Abdala, que já suou muito a camisa fazendo a refermentação na garrafa e agora quer aprimorar sua atividade. Ele me pergunta quais os equipamentos básicos para fazer a carbonatação forçada.

Antes de responder à pergunta dele, vou dar uma recapitulada nos dois principais métodos de carbonatação usados pelos caseiros. Depois, então, apresento os equipamentos necessários para a carbonatação forçada e explico brevemente como eles devem ser montados e de que maneira funcionam.

Métodos de carbonatação

gas

A carbonatação, você já sabe, serve para “dar um gás” na sua cerveja. Ela é a responsável pela formação de bolhas e também tem influência na formação de espuma no líquido sagrado.

Na produção caseira, os dois métodos de carbonatação mais usados são:

  • o priming e
  • a carbonatação forçada.

Priming

açucar priming

Quase todo cervejeiro caseiro assim que começa a fazer cerveja usa o priming como método de carbonatação. Isso se deve principalmente por ser um sistema barato, simples e bastante usado para levas pequenas.

Nesse processo, você só precisa acrescentar açúcares fermentáveis na cerveja logo antes do envase (neste vídeo eu mostro como calcular a quantidade de açúcar do priming). Isso pode ser feito diretamente na garrafa ou em um balde fermentador sanitizado. As leveduras ainda ativas na cerveja fazem a refermentação do líquido, gerando uma quantidade adicional de gás carbônico.

Com o priming, você precisa esperar entre uma e duas semanas, dependendo do estilo da cerveja, para a carbonatação ficar ideal.

Carbonatação forçada 

esquema_barril

Esse é um método rápido e eficiente, que costuma ser o preferido de quem já faz cerveja há algum tempo.

Ele consiste, basicamente, em injetar gás carbônico na cerveja que está em um barril usando um cilindro, um conjunto de mangueiras e alguns conectores.

A carbonatação forçada permite maior controle sobre a quantidade de gás carbônico levada para a cerveja do que método do priming. Além disso, quando você usa esse método, sua bebida fica pronta para consumo em apenas um ou dois dias.

Quer ficar sempre atualizado?

Insira o seu endereço de e-mail abaixo para receber gratuitamente DICAS sobre o processo de produção cerveja artesanal!

Equipamentos básicos para carbonatação forçada 

equipamentos

Para responder à pergunta do Ricardo Abdala, apresento a seguir uma lista dos equipamentos básicos necessários para fazer a carbonatação forçada, acompanhada de explicações sobre como utilizá-los e como funciona o processo. Vamos à eles:

  • barril / keg post mix;
  • cilindro de CO2 (gás carbônico);
  • manômetro;
  • mangueiras e conectores ;
  • válvula extratora para o barril.

O conjunto de equipamentos montado e pronto pro uso, fica mais ou menos como o da imagem abaixo.

conjunto_montado

Para você fazer a montagem, não tem grandes mistérios. A válvula extratora (figura da esquerda, abaixo) é encaixada na abertura da parte superior do barril (figura da direita, abaixo). Essa válvula tem uma entrada e saída de cerveja e uma entrada e saída de gás.

                            válvula extratora                                                                    barril

O manômetro (figura da esquerda), comprado separadamente, deve ser acoplado ao cilindro de gás carbônico (veja a imagem abaixo). É esse equipamento que permitirá controlar a quantidade de gás que será enviada do cilindro para o barril.

                        manômetro_com_orelha                                                                     

O manômetro tem dois visores: um para indicar a pressão interna do cilindro e outro, a pressão de gás que está saindo para o barril de cerveja. Dependendo do modelo que você escolha, a regulagem da pressão deve ser feita girando o parafuso da parte da frente do equipamento com uma chave de fenda (necessária para o modelo da figura acima à direita) ou com a própria mão (se ele tiver uma “orelha”, como o da figura acima à esquerda).

Até aqui já te mostrei os equipamentos fundamentais: de um lado, o barril de cerveja com a válvula extratora; de outro, o cilindro com o manômetro. E agora, como eles vão interagir? É aí que entram as mangueiras e conectores.

Bom, para simplificar vou te mostrar como você deve fazer ligar as mangueiras: Depois de ter ligado a válvula extratora ao barril (Passo 1) e o manômetro ao cilindro de CO2 (Passo 2), você vai acoplar uma das extremidades da mangueira à saída de gás do cilindro e a outra extremidade da mangueira à entrada de gás da válvula extratora (Passo 3). Depois você conecta uma segunda mangueira à saída de cerveja da válvula extratora (Passo 4). Quase tudo pronto! 

Beleza até aqui? Equipamento no ponto, hora de pôr a mão na massa!

Agora só falta abrir o cilindro de CO2 (Passo 5), mas antes você precisa saber qual o nível de carbonatação indicado para o estilo de cerveja que você está fazendo. Se você não sabe de cabeça, é só consultar CLICAR AQUI e baixar a tabela de carbonatação. 

Então você vai ajustar o manômetro para o nível de pressão desejado e começar a transferir gás carbônico do cilindro para o barril que está com a cerveja.

Três sacadas cervejeiras importantes:

  • enquanto o gás é transferido, você deve manter fechada a saída de cerveja da válvula extratora (a menos que você queira se divertir no chafariz de cerveja que vai sair por ali);
  • quanto mais gelada a cerveja estiver, maior será a absorção do gás (as tabelas de carbonatação levam em conta essa variável);
  • se você agitar o barril, o processo de carbonatação tende a ficar ainda mais rápido.

 

Como você viu, não é nenhuma tarefa de outro mundo fazer a carbonatação forçada. O equipamento é fácil de montar e de manusear. E eu garanto a você que o investimento vale a pena!

Quer ficar sempre atualizado?

Insira o seu endereço de e-mail abaixo para receber gratuitamente DICAS sobre o processo de produção cerveja artesanal!

CONCLUSÃO:  OS EQUIPAMENTOS BÁSICOS PARA CARBONATAÇÃO FORÇADA SÃO FÁCEIS DE MONTAR E MANUSEAR E SUA UTILIZAÇÃO PERMITE MAIOR CONTROLE SOBRE OS NÍVEIS DE CO2 NA CERVEJA

Para introduzir o assunto de hoje, recapitulei os dois principais métodos de carbonatação usados na produção caseira:

  • priming – utilizado pela maioria dos cervejeiros iniciantes; consiste em acrescentar açúcares fermentáveis na cerveja logo antes do envase para que as leveduras ainda ativas façam a refermentação do líquido, gerando uma quantidade adicional de gás carbônico.
  • carbonatação forçada – preferido por cervejeiros com mais tempo de estrada. Ele consiste, basicamente, em injetar gás carbônico na cerveja que está em um barril usando um cilindro e um conjunto de mangueiras e conectores.

Em seguida, falei sobre os equipamentos indispensáveis para fazer a carbonatação forçada, que são os seguintes:

  • barril/keg/post mix (onde fica a cerveja);
  • cilindro de CO2 (fonte do gás que será injetado na cerveja);
  • manômetro (acoplado ao cilindro para permitir o ajuste da pressão do gás que será transferido para o barril);
  • mangueiras (de entrada/saída de gás e de entrada/saída de cerveja) e conectores (para conectar as mangueiras entre si e também ao cilindro de gás e à válvula extratora do barril) ;
  • válvula extratora para o barril (instalada na parte superior do barril, é nela que ficam a entrada/saída de cerveja e a entrada/saída de gás).

Resumindo os passos da montagem e do funcionamento do conjunto de equipamentos:

  • conectar o manômetro ao cilindro de CO2;
  • colocar a válvula extratora na abertura do barril;
  • conectar as mangueiras de gás e de cerveja;
  • ajustar o manômetro para a pressão desejada (que deve estar de acordo com o estilo de cerveja produzido);
  • acionar o equipamento para fazer a transferência de gás para o cilindro.

Fiz ainda três lembretes importantes:

  • antes de começar a transferir o gás, você deve fechar a saída de cerveja da válvula extratora;
  • quanto mais gelada a cerveja estiver, maior será a absorção do gás (as tabelas de carbonatação levam em conta essa variável);
  • se você agitar o barril, o processo de carbonatação fica ainda mais rápido.

Valeu? Agora que você já conhece e sabe como usar os equipamentos para carbonatação forçada, compartilhe as informações borbulhantes do post no Facebook com seus amigos cervejeiros. Assim você ajuda a divulgar a cultura cervejeira e colabora com seus amigos que querem dar um upgrade no seu método de carbonatação.

like cerveja

6 Comentários


  1. Bom dia

    Muito bom. Apenas fiquei na dúvida em como usar a tabela poia há várias possibilidades para cada tipo de cerveja.

    Utilizando a carbonatação forçada pode ser engarrafada também ou só serve pra servir em barril?
    Grato

    Responder

  2. Bom dia Daniel, também gostaria de saber , se posso engarrafar a cerveja do barril , após ter feito a carbonatação forçada?

    Responder

    1. Dá pra fazer. Mas o ideal é que você tenha uma enchedora de contra-pressão. Caso contrário você acaba perdendo muita carbonatação no processo de enchimento da garrafa. O que faz prender o gás no líquido é a pressão interna do barril. Quando você tira o líquido de lá faz com que as bolhas “queiram” escapar do líquido.

      Responder

  3. A carbonatação forçada evita aquela “areia” que fica no fundo da garrafa após a refermentação?

    Responder


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *